Pseudociência de Gênero – Philip Massi

Ainda tem gente que insiste nisso e o motivo pelo qual questiono ainda é o mesmo pelo, qual questiono uma série de propostas políticas: As pessoas repetem, sem filtro, ideias furadas, sem amparo científico, feitas para desagregar e manipular, por algum sacana.

O que chamam de gênero, se referindo às diversas ramificações de ‘gays’ e pessoas com peculiaridades diversas, na verdade, se chama PERSONALIDADE. As ramificações só crescem, assim como a sigla. Se for ser mais preciso, essa sigla deveria ter 6 bilhões de letras.

O termo ideologia de gênero, de correto só tem o “de”, porque para estudo da personalidade já existe uma ciência: A psicologia.
Se fossem ensinar psicologia na escola, eu seria totalmente a favor. Quem fala “Ideologia” e “Gênero”, com certeza não tem a menor ideia do que é gênero nem personalidade.

Psicologia tem bases sólidas. Não é ideologia. O gênero também não é ideologia. Já é ensinado em uma matéria chamada biologia. Seja Gênero um grupo de espécies ou a formação dos cromossomos.

Quem quer defender que as escolas falem de todas as categorias de Gays do mundo, deveria falar “Psicologia da Personalidade” ou algo assim.

Quando alguém fala Ideologia de gênero, fico com a certeza que é alguém que não tem noção nenhuma de ciência e que, com certeza, se der uma escola para essa pessoa, vai fazer merda.

A intenção de se falar desses assuntos para promover tolerância aos ‘gays’ é uma coisa que merecia um pouco mais de pensamento sobre.

Eu, nunca na vida precisei saber o que a pessoa gosta de fazer com o cú ou a genitália, em situação nenhuma e penso que ninguém precisa. Aprendi a respeitar qualquer um e isso foi suficiente. Não precisou gastar um ano letivo para isso.

Fosse implantado a ideologia de gênero nas escolas, isso não salvaria da intolerância os quatro olhos, as rolhas de poço, os nerds, os magrelos, os aleijados, os pobres, os cabelos ruins, etc. Julgo que aprender a respeitar qualquer um, independente do uso do cú, seria mais abrangente.
Porque ninguém milita por aulas de respeito ao próximo?

Colocar um rótulo nas pessoas, categorizando em GLBTY é como marcar bois. Assim como os Alemães carimbavam os judeus, facilita rotular para odiar. O efeito contrário.

Eu tinha amigos que eram apenas amigos, pessoas. Agora são categorias, e algum manipulador de cima para baixo cria uma pseudociência bem absurda, bem furada, se aproveita do sofrimento desse grupo, da fragilidade que deixa inebriado seus julgamentos para que não percebam o desfavor que se fazem. Porque o pacote dessas pautas elege um inimigo comum para fomentar o rancor. Os Absurdos inclusos no pacote dessas pautas fomenta o ódio de volta a um grupo devidamente categorizado e rotulado.

As manifestações histéricas, com direito a vandalismo em passeatas, dos 2 lados, não são ao acaso. São a construção desse amontoado de sofismas organizado para promover desunião. Não tem a menor pretensão de integrar de verdade os gays.

A quem está cético com minhas palavras, basta se aprofundar nas pautas, bastante, mas já com um olhar mais crítico um pouco. Se buscar amparo na ciência, aí fica gritante.

Dividir para conquistar. Estamos fazendo direitinho.

1 Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s