A Guerra de Troia

IMG_20190307_001746_681.jpg

As epopeias são penas narrativas que recontam a história de um herói representante de uma cultura em particular. Elas registram as missões e provações do herói e contam suas escolhas e motivações. As epopeias estão entra as formas mais antigas de literatura em muitas culturas do mundo.

As primeiras e mais famosas dessas narrativas foram Ilíada e Odisseia, ambas atribuídas a um único autor. Conhecido como Homero. Pouco se sabe sobre ele.

Na Grécia antiga, muitas narrativas épicas eram contadas sobre a Guerra de Troia. Um conflito entre os gregos e a cidade de Troia. Os historiadores reconhecem que esses poemas épicos foram inspirados por acontecimentos reais, guerra esporádicas entre Grécia e Troia realmente aconteceram aproximadamente cinco séculos antes de os trabalhos serem escritos.

Gregos e Troianos

Eles eram auxiliados ou atrapalhados pelos deuses, que usaram o conflito para lutar suas próprias batalhas. Hera, Atena e Poseidon aliaram-se aos gregos. Agamenon, Aquiles, Pátroclo, Menelau e Odisseu.

Enquanto Apolo, Afrodite e Ártemis apoiaram os troianos Príamo, Heitor, Páris, Helena e Eneias.

Zeus se manteve predominantemente neutro.

Uma história de deuses e homens

Ilíada é um exemplo sofisticado de contação de história. Ela relata a guerra em Troia sob a perspectiva de um único personagem em particular: Aquiles. Partes da narrativa sobre a guerra é contada em flashback, ou em profecias sobre o futuro. Entrelaçados nesse enredo estão subenredos e vislumbres da vida dos protagonistas.

Origem da guerra

As raízes da Guerra de Troia podem ser encontradas em acontecimentos que ocorreram durante o casamento da ninfa do mar Tétis com o herói grego Peleu, o companheiro do herói Hércules. Vários deuses e deusas compareçam para a comemoração. Incluindo Hera, Atena e Afrodite.

Começou uma discussão entre as três deusas, já que cada uma delas dizia ser a mais bela. Para resolver a disputa. Zeus pediu a Páris, o filho do rei Príamo de Troia, para julgar um concurso de beleza entre elas.

Afrodite ofereceu a Páris um suborno. A mão de Helena de Troia, a mulher mais bonita do mundo. Infelizmente, Helena já era casada com Menelau, irmão do rei Agamenon de Micenas, um estado grego. O rapto subsequente de Helena por Páris desencadeou o conflito.

O poder da cólera

A raiva é um tema predominante em Ilíada, manifestada na própria guerra e como motivação para ações individuais dos personagens. Há a cólera honrada de Agamenon e Menelau a respeito do rapto. Mas também a fúria que leva Aquiles à e faz dele um guerreiro assustador, provocado várias vezes pelos acontecimentos da história. Sua raiva não é direcionada somente aos troianos nem está restrita a inimigos humanos; em certo ponto ele está tão enlouquecido de ódio que luta contra Xanthus, o deus do rio.

No início de Ilíada, Aquiles fica possesso com o rei Agamenon, o comandante grego, que tomou para si Briseida(mulher que havia sido dada a Aquiles como prêmio de guerra), sem conseguir direcionar sua raiva ao rei, Aquiles se recolhe à sua tenda e se recusa a lutar novamente. Apenas a morte de seu amigo próximo, Pátroclo, pela mão de Heitor, filho mais velho do rei Príamo e herói dos troianos, o traz de volta à batalha.

Uma história de dois heróis

Heitor é, como Aquiles, um líder militar. Ele é considerado o mais o nobre e poderoso dos guerreiros troianos. Mas seu caráter e sua motivação contrastam com os de Aquiles, destacando duas atitudes muito diferentes em relação à guerra.

Aquiles é movido por uma raiva interior, mas também pelos motivos mais nobres de defender a honra de seu rei e seu país e, por fim, vingar a morte de Pátroclo.

Heitor luta por lealdade a Troia, mas também à sua família. Ele protege seu irmão mais novo, Páris, cujo rapto de Helena acabou por desencadear a guerra.

Homero retrata ambos como homens nobres, mas não sem falhas. Nenhum dos dois está totalmente certo ou errado, mas, na guerra, um deles precisa emergir vitorioso.

O destino e os deuses

Homero sabia que seus leitores, os gregos, conheciam muito bem o final da história porque, se Troia tivesse vencido, não haveria civilização grega. Os gregos estavam destinados a vencer, e, para reforçar essa inevitabilidade, Homero cita profecias e o papel do destino e dos deuses ao decidirem o resultado da guerra.

Para os gregos antigos, os deuses eram imortais com domínio sobre algumas áreas e certos poderes. Às vezes, eles interagiam com os humanos, mas geralmente os deixavam resolver, a vida sozinhos. Em Ilíada, no entanto, muitos dos deuses haviam investido em interesses que levavam ao seu envolvimento na Guerra de Troia de tempos em tempos. Afinal, a guerra havia sido desencadeada pelo rapto de Helena, a filha de Zeus e Leda. Páris havia levado Helena em uma conspiração com Afrodite, de modo que os deuses do Monte Olimpo já tinham escolhido de que lado estavam.

Além do conflito

Depois de tanta guerra, banho de sangue e fúria, a epopeia de Homero termina com paz e reconciliação. Na cena talvez mais emocionante e memorável do poem, um rei Príamo já mais velho visita Aquiles e pede que ele devolva o corpo de seu filho, Heitor. Aquiles fica sensibilizado pelo pedido do velho, e uma trégua, temporária é estabelecida para que os troianos tenham tempo de fazer um enterro adequado, e isso também acalma a fúria de Aquiles. Mas, apesar do final aparentemente pacífico, sabemos que essa calma não durará muito. A batalha recomeçará, Troia cairá, e, em algum ponto da narrativa, Aquiles, morrerá.

O segundo épico de Homero, Odisseia, resolve algumas histórias em aberto a seguir o destino de outro herói grego, Odisseu (conhecido pelos romanos como Ulisses), enquanto ele faz a viagem para casa entre Troia e Ítaca depois da guerra. Em Odisseia, o herói reconta a história de como Troia foi finalmente destruída e descreve a morte de Aquiles.

Odisseia detalha a morte do herói Aquiles. Ele é morto por uma flecha disparada por Páris, guiada por um ponto vulnerável no corpo de Aquiles – seu calcanhar – pelo deus Apolo.

Zeus sabe, sem dúvida, qual guerreiro está fadado a acabar tudo isso com a morte.

Ilíada

Anúncios
Categorias:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s